Todos os mestres espirituais e atualmente também todos os cientistas que falam sobre processos de cura citam a importância e os efeitos da meditação.

Dentre os muitos e diversos instrumentos para obtenção e manutenção da cura, bem como acesso à Expansão de Consciência, é um dos mais simples e mais completos:

  • simples em decorrência de sua acessibilidade sempre disponível; pela inexigibilidade de qualquer pré-requisito ou condição especial além de se lançar mão o mais diretamente possível daquilo que já se possui dentro de si; e por ser absolutamente natural e sem complicações durante sua execução;
  • completo por ser um ato que exige uma opção prévia de direcionamento para ele, de forma que se tenha todo um contexto e cenário de suporte envolvendo todas as dimensões do ser para que possa ser realizado.

Segue breve resumo de tópicos com o propósito de alimentar o interesse sobre os caminhos a serem vistos/vivenciados sobre o assunto.

No Começo, Dissolução de Barreiras

A grande maioria das pessoas tem uma dificuldade intransponível em meditar, mesmo que seja por poucos minutos ou ainda algumas poucas vezes. Toda essa dificuldade tem o seu porquê de ser. Ao parar alguns momentos, a pessoa irá tomar contato diretamente com diversas faces de si mesma com as quais tem dificuldade em lidar. Daí ser melhor inventar qualquer coisa para fazer do que ficar consigo mesmo: ir ao cinema, comer, fazer sexo (mesmo sem vontade ou motivação), ler alguma coisa, fazer um exercício físico, fazer algo, fazer alguma coisa, fazer…; tudo, menos não fazer nada (apenas SER) e ficar consigo mesmo.

Muito se ouve falar e já foi descrito sobre estados extasiáticos obtidos por diversas pessoas através da meditação. Entretanto, para a maior parte das pessoas, meditar não passa de algo muito chato e desagradável de ser realizado pois a pessoa além de não atingir êxtase nenhum ainda sente diversos incômodos, não apenas de ordem física, mas também emocional e psiquica.

Isso se dá em grande parte em decorrência de um processo natural e intrínseco ao próprio encontro de si mesmo e expansão de consciência, intimamente ligados à meditação, que é o artifício de o ser sintonizar primeiramente suas negatividades internas, suas emoções reprimidas, desejos não realizados, fantasias e ilusões e tudo o mais que seja necessário para que possa ocorrer uma posterior sintonização e acesso a grandes quantidades de energia de forma harmônica. O detalhe é que muitas vezes esse processo inicial é bastante demorado.

Além desse contato inicial com suas negatividades, também se somam como fatores que se interpõe ao PRAZER DE MEDITAR:

 

  • Incapacidade em lidar com o alto fluxo psíquico;
  • Intenso condicionamento (desde a infância) de valorizar o ter, pensar e fazer em detrimento do SENTIR e do SER.

 

É bastante interessante que a pessoa que se propõe a meditar tenha consciência dessa sintonização e liberação inicial, de modo que possa integrar mais facilmente os conteúdos e processos dessa fase inicial.

Meditar:

  • leva à EXPANSÃO DA CONSCIÊNCIA;
  • é estar consigo próprio, viver sua própria vida;
  • harmoniza (ressoa) os corpos inferiores, alinhando-os;
  • altera a percepção do tempo real com conseqüente aumento da percepção e controle sobre este fenômeno, pois exige nossa proposta de compromisso de entrega e vivência em profundidade (absoluta) ao momento presente (mesmo que isso não acontença, mas que haja no mínimo a proposta de se direcionar para isso);
  • melhora a interação saudável (quando bem realizada) sobre o corpo mental(o mais novo e o que mais nos engana);
  • ao contrário do que pode parecer para muitas pessoas, é um ato de extrema manifestação de vitalidade, força de vontade e poder pessoal. Está longe, muito longe, por exemplo, da preguiça…;
  • diminui a freqüência de operação mental.

FREQÜÊNCIAS MENTAIS

 

  • Beta (acima de 8 hz) “8 ciclos por segundo”
  • Alfa (entre 8 e 5 hz)
  • Teta (entre 5 e 3 hz)
  • Gama (abaixo de 3 hz)

 

Medita-se inicialmente de forma bastante eficiente mantendo-se a atenção/percepção da respiração. Perceber o ritmo da respiração (saber em quais momentos se está inspirando, expirando ou no intervalo entre esses estágios) é muito mais importante do que controlá-lo, que passa a ser um aspecto secundário.

Meditação Kundalini: mantém energias dos chacras de base conectadas à terra (grouding) permitindo a expansão dos corpos astrais com maior nível de segurança.

Sergio Negri

Author Sergio Negri

More posts by Sergio Negri

Leave a Reply

16 − catorze =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

All rights reserved Salient.